Atrelado Polisport

Oct 16, 2020

Artigo original minivelocentral.com


A Polisport é uma empresa portuguesa gigante, especialista em plásticos e que trabalha em várias frentes sendo mais conhecida pelas cadeirinhas de criança. Recentemente tem adquirido algumas marcas como a holandesa Bobike e a Headgy helmets (ver polisport.com) Também fornecem muitas marcas grandes de motas.

Há 2 anos apresentaram algo diferente, uma pequena bicicleta de equilíbrio aka balance bike que apresentei aqui e que pelo seu grande sucesso foi também incluída na marca Bobike, adaptando o modelo às cores características.

Este ano a novidade foi o atrelado


Eu já tinha experiência com outros atrelados, nomeadamente os Croozer, por isso é relativamente fácil perceber as diferenças entre esse e este atrelado português que custa menos de metade do preço.


E começa logo por aí, é português, directo da fábrica, sem intermediários ou taxas de alfândega. Só isso tem um peso brutal no pvp. Lembrando que um Croozer for 1 (de um lugar) e sem suspensão custa 750€.


Obviamente que não é só isso, todo o material, os estofos mais resistentes e confortáveis, os extras, a qualidade das rodas, pneus, a própria dobragem, pequenos detalhes, é tudo superior e resultam de vários anos de experiência e aperfeiçoamento... Isso não significa que este atrelado seja mau, significa apenas que o Croozer pode ser demasiado para aquilo que precisas, mas que também não precisas de arriscar a segurança da tua criança num atrelado low cost duvidoso. A Polisport é também conhecida pelo rigor na segurança dos produtos.


nunca fui um gajo de atrelados, mas reconheço o seu grande conforto e versatilidade porque podes transformar qualquer bicicleta numa cargo bike com a mesma capacidade das bakfiets


Há um único detalhe que me faz confusão: o de ter os miúdos demasiado longe da vista e do coração. Quem nunca pensou na hipótese do atrelado ser atingido por um carro que atire a primeira pedra.


Por outro lado, tanto uma longtail grande como uma bicicleta convencional com cadeirinhas não permitem o mesmo nível de conforto e espaço à criança ou protecção total do calor e da chuva. E onde é que se nota mais isso? Nos passeios grandes. E normalmente os passeios grandes são em zonas sem confusão, longe do trânsito, onde nos sentimos suficientemente seguros para os levarmos no atrelado. Ou mesmo no nosso dia a dia com compras e escola, se moramos numa zona que ofereça segurança. Eu sinto que estou numa zona relativamente segura. Não fossem dois ou três pontos negros, como a Nacional 10 e muitos dos vizinhos que estacionam em cima dos passeios, vivíamos no Éden


 

O atrelado vem com dois adaptadores, o que é óptimo porque podemos ter instalado noutra bicicleta e ir trocando sem perder tempo. Imagina um passeio grande poder ir trocando o atrelado entre duas bicicletas.

O encaixe é muito simples e não é preciso fazer força. É de aço e compatível com a maioria das bicicletas. (rodas traseiras QR de 9mm e eixos sólidos até 10mm.)



Tem um gancho de segurança para o caso de alguma coisa correr mal. Nem precisa de ser com o atrelado em si, mas o aperto rápido pode ceder, ou outra coisa qualquer que normalmente só acontece aos outros e assim ficamos mais descansados.


Escolhi a Dahon Dash muito leve (10kg) e que tenho usado muito ultimamente. A primeira coisa que fui fazer foi esta subida grande. Depois de encher os pneus um pouco acima do máximo de 65psi. Quanto mais a pressão, mais rola, mas menos confortável será. Acontece que este atrelado vem com uma mini suspensão (umas pequenas molas no eixo) que a meu ver é suficiente para estas andanças. Para cicloturismo fora da estrada podes vir a querer um atrelado com suspensão a sério, mas se o orçamento não permitir, uns melhores pneus minimizam a coisa. (ex Schwalbe Marathon, ou Big Apple com anti-furo) As rodas são de 20" (406 ETRTO)


 


As rodas têm um travão de pé traseiro o que foi muito útil nesta subida. Sem isto não consegues largar a bicicleta numa subida, o peso do atrelado puxa-a sempre. Este sistema funciona com dois cabos e bichas convencionais também usados nas bicicletas



Há até um afinador para poder controlar a distância do perne (que encaixa num daqueles buracos)


Outra coisa que chateia muito são as manobras para trás. Quem conduz carros com reboques sabe do que falo. Ao fim de algum tempo habituas-te, mas se só pegares nele de vez em quando é difícil. A mola permite uma grande flexibilidade, fazer curvas relativamente apertadas (ao contrário das bakfiets) Mais uns pontos para usar esta solução em cicloturismo


Um interior completo e confortável. Vários compartimentos para as coisas que vamos precisando como águas, brinquedos deles e uma bagageira traseira que faz lembrar um Smart, possibilidade de levar duas crianças, com os dois cintos de segurança almofadados mas com respiração



 

no site da marca:

- crianças desde os 9 meses até aos 6 anos, com uma altura máxima de 105cm.

- Ao combinar o transporte de crianças e carga, o peso máximo a ser transportado é de 41Kg. Caso utilize o Trailer apenas para transporte de carga, o peso máximo é de 25Kg.


Tem uma rede anti mosquito e um plástico impermeável para os dias de chuva ou frio que se enrolam quando não estão em uso.


A impermeabilidade é boa, tem algumas zonas não protegidas como fechos e dois ou três pontos abertos, para uma chuvada curta/média sem problema. O tecido e o plástico repelem a água muito bem. Falta testar uma chuvada a sério, mas penso que para o propósito do atrelado a impermeabilidade é boa


As zonas transparentes são meio escuras, protegem do sol e dão privacidade à criança.

O piso é todo emborrachado o que é óptimo para limpar. Mais ainda nesta altura em que o covid parece que está sempre à espreita. Os pneus também são fáceis de limpar. Quanto mais slick melhor



A solução mini + atrelado é excelente. Permite que o atrelado esteja mais próximo e é mais aceite socialmente quando vamos pelo passeio, o que naturalmente acontece em zonas nada convidativas a andar na estrada. Aqui ainda tenho alguma escolha e passeios com margem e sem pessoas a circular. Em algumas freguesias de Lisboa pode ser impossível. Para atravessar a estrada na passadeira, desmontar e certificar que não vem nenhum psicopata



Mas tudo isto não seria possível se não fosse dobrável. A portabilidade (no meu caso) é tudo. Num elevador cabe perfeitamente o atrelado e a bicicleta. Apenas tenho de a levantar ou dobrar. As rodas também saem. Basta pressionar naquele botão branco do meio. O ferro de alumínio que agarra à bicicleta também recolhe.

Uma família com duas crianças pequenas têm as férias feitas com um atrelado e duas dobráveis. As 3 coisas cabem facilmente no porta bagagem de um carro, na bagageira de um autocarro expresso ou comboio intercidades


Outro detalhe muito importante é o stroller kit, que permite uma grande versatilidade quando andamos a passear a pé.

(não não é a Cristina Ferreira... acho)



E é isto, se quiseres um

bklisboa.pt/produto/atrelado-criancas-para-bicicleta-polisport